segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Vai passar

Sabe, se tem uma coisa que eu realmente aprendi nessa vida é que saudade existe e maltrata. Quando eu era ainda uma menina de 16 ou 17 anos, eu acreditava que saudade era algo que eu sentia falta, que me dava só uma dorzinha no peito. Não! Saudade de verdade te dói, te corrói! Hoje eu sei o que é ter mesmo aquela saudade pura, sincera e dolorosa. Muitos dizem que ela faz bem, que começamos a dar valor a certas coisas. Eu acredito que saudade é uma filha-da-mãe. Eu dou valor no que tenho na vida, ou pelo menos me esforço pra ter. Ás vezes eu tenho medo de dizer "Saudades de você e isso tá me matando." E se a pessoa entende essa frase completamente diferente? Se ela acha que saindo da minha vida eu vou parar de sentir saudades e então parar de sentir dor? Bom, essa pessoa errou feio. Porque se ela decidir sair da minha vida pra me fazer bem... Fez mal e muito mal. Vou ter uma saudade infinita. Imagina! Não precisa nem ter mais esperança e nem nada disso, porque enquanto há esperança, eu sei que a saudade não vai durar pra sempre. Eu sei que vou te ver de novo. Eu sei que vou te abraçar e te encher o saco com tanto carinho. Então não saia da minha vida só porque estou sofrendo. Não estou com dor por sua culpa, estou com dor porque eu descobri a minha metade e eu não posso ter ela agora. Estou com dor porque enquanto eu ainda não te ter aqui do meu lado, eu vou continuar achando que um dia vou te perder. Estou com dor porque estou morrendo sem você aqui. Então, imagine se eu ficar sem você na minha vida (inteira), você consegue imaginar o tamanho da dor?

domingo, 15 de maio de 2011

105 dias sem ele

Um sufoco, viu. Hoje tive vontade de falar milhões de palavrões para alguns aí, mas me contive e não deixei eles me enlouquecerem. Parece que é isso mesmo, eles querem que eu me torne uma doida! Mas não uma doida-apaixonada, uma doida-normal, eles querem que eu faça parte do circo deles, tomando as mesmas pílulas para me tornar igualzinha a eles. É isso o que eu não quero, me tornar exatamente igual a eles, com a mesma vidinha pacata, com casamentos forçados (pela mente ou por pessoas), maridos ou esposas que não vêem a hora da separação, é bem isso o que eu não quero. Hoje me disseram que a vida não é feita de amor. Babacas, acredito em duas coisas nessa vida. Que Deus é tudo, Deus é amor. E na frase “All You Need Is Love”. The Beatles podem ter sido qualquer coisa, mas uma coisa era certa, cada música deles tem um fundo de verdade que só os fortes conseguem entender e levar para a vida. Tudo gira em torno do amor e não no umbigo de vocês.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Simples, mas fiz pra você.

Amo o jeito que você se deita no meu peito, amo quando você me dá um sorriso torto. Amo o jeito que você me faz rir quando pisca pra mim. Amo esse teu jeito bobo de um homem sério. Eu sinceramente amo quando você me olha apaixonado. Eu amo saber que você me ama do mesmo jeito, exatamente do mesmo jeito; que eu te amo. Amo te ver dormindo. Amo saber que pensamos igual. E amo muito quando só pelo meu olhar você já sabe o quê eu quero. Amo te ter pra mim, nem que seja por um minuto. Eu amo quando você me ajuda a tirar o meu casaco. Quando você abre a porta do carro pra mim, eu amo. Amo ver como você é forte em todos os sentidos. Amo ter um herói na minha vida. Amo o seu silêncio me deixando falar sem parar. Sim, amo quando ouço sua respiração. Amo o cartão de Valentine's Day que você me deu. Amo as coisas mais simples em você e até mesmo as mais complexas. Seu sorriso, seu pescoço, seu cabelo, seu esforço, eu apenas amo. Não é sempre, mas quando você me surpreende, céus, é impossível não amar. Amo amo amo, sem exitar. Só de ouvir as batidas do seu coração, me faz saber o que significa amar. Amo quando você fala em português, mas mais ainda quando fala em inglês. Amo ouvir a palavra linda da sua boca. Amo saber que a fé move montanhas e que você acredita nisso. Amo roubar sorvete do seu pote. Sabe, eu amo mesmo o jeito que você me leva a sério. Amo quando você está dirigindo e ao mesmo tempo segurando a minha mão. Amo as fotos que temos juntos e percebo que você ofusca a minha beleza. Gato, eu amo você, seu lindo! Amo como é fácil te amar. Amo seu toque. Amo como se veste, principalmente nos domingos. Amo saber que você sempre está tentando ser melhor do que ontem. Amo beber no mesmo copo que você, parece ridículo, mas parece que assim somos um só. Amo Deus por ter me dado você. Por ter deixado você entrar na minha vida e me dizer que você nunca mais vai sair. Amo quando você canta no meu ouvido. Amo lembrar o dia que você me levou no Taco Bell e disse que não é o fim. Amo o dia em você só me deixou dormir se eu falasse cinco talentos que eu tinha, porque eu sempre achei que não tinha nenhum. Amo ver que você vê algo em mim. Amo me sentir tão especial. Amo me sentir a sua metade, o seu complemento. Amo saber que se você pudesse se colar em mim, você se colaria. Seu pé é fofo, amo! Amo demais o dia em que você pegou o Wii do seu avô. Amo o jeito que você me protege. Eu amo ter um porto-seguro como você. Amo crer que se a gente se ama, mas nada importa. Eu amo ter o conhecimento de que o amor ganha qualquer razão. Amo seu quarto. Amo dormir do lado esquerdo da sua cama. Amo como você se preocupa comigo, como se importa comigo. Amo quando você coloca gasolina. Como você é bom, como você é um anjo, eu amo. Só não esqueça que eu amo tudo isso em você, mas acima de tudo é de você que amo mais. Mas, o conforto que mais amo agora é ter a plena certeza que no fim tudo vai dar certo.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Tempo t o d o

Me pego pensando em você. O tempo todo.

Tempo todo = caminhando pelo centro da cidade, assistindo The Punisher, abrindo a geladeira, instalando um roteador, na serra, na sala, na frente da minha mãe, quando choro, respirando, abraçando você nos meus pensamentos, usando meu mouse da Best Buy, quando sento no sofá, quando clico no botão 2 do elevador, invejando cada casal que existe na face da terra, todas as manhãs que acordo e ligo o laptop, abrindo minha conta do Gmail, vendo as pessoas, cada segundo da minha vida, cada minuto do dia...

O tempo todo é quando estou dormindo, quando estou acordada e quando durmo de novo.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Um poema vivo.

Releio o seu corpo a cada segundo do infinito. Seus olhos me fazem mergulhar, sua respiração me faz sentir mais viva do que nunca. Então eu percebi uma coisa. Cada detalhe seu é uma arte, uma palavra inexistente. Me desespero ao tentar escrever um poema sobre você, um poema tão vivo como você. Mas você é tão meu e só meu, que o poema vivo cabe somente a mim e dentro de mim. Você é meu e eu sou sua, e isso faz o nosso viver.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

I'm jealous of everyone in the same room with youand even more envious of those that get to sleep near to you, just to keep warm. - David Stockton

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

You can stay next to me, if you want.

Talvez amanhã seja tarde demais. Então pegue esse seu maldito carro e me encontre. Poupe-me se você não sabe aonde estou, me encontre. Dane-se se você esta com preguiça, cansado do trabalho, sem perna; me puxa, me aperta, me esmaga. Eu preciso da certeza que você me quer em suas mãos, eu preciso que tenha coragem de fazer o que não faria por ninguém. Prenda-me, grite comigo dizendo pra ficar!

E depois de tudo isso, eu simplesmente direi: Eu fico.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Bianca: O mundo está perdido.
Alex: É só encontrá-lo.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

De quem é o seu?

Pessoas sofrem, sentem dor. Hoje minhas palavras fogem, minha boca não abre, meus olhos se cansam com facilidade. A respiração é pesada, meus músculos machucam minha pele. Meu coração sente a falta, a necessidade e o amor. Estão me deixando doente, meu sangue já não é tão bom. Quem está aqui para segurar a minha mão? De quem é meu coração?
Tenho a falta do tato, do sussuro, do carinho. Não faz sentido eu chorar, porque nem mais posso lacrimejar. Ando tão só, tenho medo do escuro. Afinal, quem está aqui para segurar a minha mão? Tenho afeto somente por você, então na verdade, de quem é o seu coração?

sábado, 7 de agosto de 2010

O QUE FAZER QUANDO O MUNDO NÃO TE QUER MAIS

MUDANÇAS

Sejam elas boas ou ruins, tenho certeza que ele vai te querer.

Algumas pessoas dizem que se você mudar a cor do seu cabelo ou mudar de país não resolve nada, você vai continuar com a mesma auto-estima. Elas pensam que você apenas pensava assim porque nunca estava contente com a sua vida atual. Embora, eu acho que sim, isso pode acontecer. Porém isso não é 100%, não chega nem perto dos 100%.

A mudança pode ser o que faltava para você viver e não sabia.
Os nossos pais, amigos e em geral as pessoas, não são ditadores das regras da sua vida em questão. Eles não vivem por você, eles não sabem o seu sentimento, nós todos temos nosso infinito particular. Não deixe eles te guiarem para um caminho na qual você não queira ir. Nós somos nossos próprios passos, no fundo estamos todos sozinhos.

Alguns podem até dizer: “Ah, eu tinha aquele amigo que em tal hora que ninguém estava lá, ele estava...” Meu bem, não se iluda! Ele só estava lá por pena ou interesse. “Ah, mas era minha mãe, então não pode ser por nenhum desses motivos.” Querido, acha mesmo que ela não tava com pena de ver o ser que criou quase morrendo, ou que não estava com interesse de saber se você iria conseguir passar dessa para melhor? “Ah, mas pessoas que nos amam não pensam assim.” Fofo, você que pensa.

Vai sonhando se acha que alguém se importa.

Sexta-feira quando você recém chegou em casa do trabalho, o telefone toca:
- Oi amiga, vamos no shopping?
- Estou cansada, vamos outro dia? Além do mais vai ter jantar de família aqui em casa, quer vir? Vai ser legal.
- Ah, mas você nem fez nada o dia todo, sabe você ficou o dia inteiro na frente do computador e só. Vamos, por favor. E sobre o jantar... Ah, você pode jantar com eles outro dia né, e eu não quero ir até aí na sua casa.
É nessa hora que você deixa tudo de lado por essa “amiga”.
- Ok, mas não vamos chegar tarde, amanhã tenho que trabalhar.
Uma semana depois, você liga dessa vez:
- Oi, e aí? Vamos fazer algo?
- Ah não dá, acabei de sair do banho.
- Que bom! Se veste e vamos comer algo.
- Ah... sabe como é né, eu já tô de pijama.
- Hm, vai de pijama se quiser, eu não ligo.
- Tá, mas calma, ahhhh é mesmo, tem uma tia minha que vai vir aqui daqui a pouco, é não vai dar para ir mesmo.
Então, sabe essa tia dela? É aquela que ela vê todo o dia e que no fim foi na casa dela não para ver ela, mas fofocar com a mãe dela.
Está historia não é real, mas mostra como nós somos quando se trata de bondade. É, somos muito bons em certo aspecto.

Eu não sei como é a vida de casado, onde dizem que de dois forma um. Porém, enquanto tenho minha vida de solteira, uma coisa eu sei. Onde agora sou uma permaneço uma e não o mundo inteiro.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Você começa a perder seus amigos e não entende por que. Mas, eu posso te explicar. Eles se vão por livre espontânea vontade ou às vezes não. Porém, o tempo vai passando e você começa a perceber os amigos que tem, algum de fato vai ser invejoso, outro fofoqueiro e assim vai. E realmente é nessa hora que você se dá conta, que amigo mesmo é aquele que ainda está ali com você, na qual às vezes você nem dava muita bola e em muitos momentos você deixou de compartilhar coisas boas com ele para falar com aquele amigo que nem prestava atenção naquilo que você falava. Às vezes somos assim, não enxergamos o que realmente importa, mas não é culpa nossa se somos humanos. Esse ponto de vista de você esta perdendo amigos é um lado da moeda. O outro posso chamar de “como perdemos amigos”. É simples, você começa a ser idiota do nada e acha que ainda tem razão. Ou mais simples ainda, você começa a perceber que quer ter um futuro promissor, mas só conseguirá se usar seus amigos de forma que eles não percebam. Mas, em quase todos os casos esses amigos percebem e vão embora. Existem muitas formas de se perder um amigo. Isso pode até ter acontecido com você no jardim de infância e você não lembra. Não deixe boas amizades fazerem parte do seu passado, se com elas o seu presente é bom, porque não passar o futuro com elas também? Amigo não é uma coisa, amigo faz parte de você. Grande parte das suas atitudes vem de seus amigos, é por isso a importância de escolher e ter bons amigos. É também por isso que nessas horas não importa querer deixá-los ou não. É nessa hora, no presente, que temos que deixá-los ir e deixar outros entrarem. Porque se realmente alguns querem partir, porque não? Se eles querem ir é porque existem motivos, existe algum propósito. E quando seu melhor amigo for embora, deixo-o ir. Vai ser melhor para ambos. Você vai conhecer pessoas que talvez antes não conhecia por influência desse tal melhor amigo. E vai dizer que não é verdade?! Quantas vezes seu melhor amigo disse que tal pessoa é alguma coisa e só por isso vocês não falavam com ela e depois você descobre que é uma pessoa super legal? Quantas vezes perdemos oportunidades quando estamos sozinhos e para piorar perdemos mais oportunidades por culpa da influência? E não há nada que possa provar o contrário, amigo é para todas as horas.

terça-feira, 6 de abril de 2010

A melhor vingança é o sucesso. Não existe algo melhor do que rir por último. A vida realmente é engraçada e as pessoas que as fazem se tornam palhaças a cada dia mais. Elas são tão tolas, que se recusam a acreditar em algo que seja bom, algo que talvez nunca fosse acontecer, mas nada nessa vida é impossível. Então, elas simplesmente jogam risadas achando que estão com a razão.

Mas, a droga mesmo dessa vida é que as pessoas poderiam se esforçar para melhorar, porém elas são tão ociosas e mesquinhas, que fica difícil acreditar que elas ainda podem ser salvas. Eu sei que ninguém é perfeito, mas isso me agonia de um jeito que não tem explicação.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Na cabeça de Jane - I

Numa tarde em tédio, como qualquer tarde em tédio que um mortal poderia ter, Jane vivia um sonho. Um sonho daqueles acordados, quando nos aproximamos da janela e começamos a imaginar o que queríamos que acontecesse, mas ela estava longe de conseguir sonhar. Quando estava sentada na beira da janela, logo sentiu um soco de gelo, alguém tinha jogado uma bola de neve na sua cara. Parecia que essa história iria ser fantasiosa, delicada e cheia de amor. Mas, não. O que aconteceu simplesmente foi o seu irmão caçula brincando na rua junto aos seus amigos. Jane furiosa saiu para brigar, porém quando saiu de porta a fora, não havia mais ninguém. Os menininhos infernais, como ela mesma costumava os chamar, já haviam corrido para bem longe. Então, não havia mais nada a se fazer. Quando estava prestes a voltar para casa, pensou melhor: “Se eu voltar, vou ter que cuidar dos afazeres da casa, aquela minha madrasta acha que é a dona de lá.” Continuou a caminhar em uma direção na qual ela nunca tinha ido, um caminho meio sombrio que qualquer um teria medo de segui-lo, mas naquele estado de raiva que Jane estava, nada a abatia. O sol já estava se escondendo e ela nem ligava para isso, afinal, talvez o sonho dela estivesse prestes a se realizar. Prosseguia com a caminhada e logo se deparou com uma casa muito luxuosa, parecia de princesa, parecia uma casa como as do sonho de Jane. Chegou perto do portão, e ela imaginando que se abriria sozinho como nos contos, ele não abriu. Veio então a tristeza, mas não se deixou levar e logo bateu palmas. Um senhor já de idade veio ao seu encontro.
“Senhorita, eu poderia ajudá-la?”
Jane quase querendo dizer a verdade, dizer que só queria olhar a casa e fingir por alguns instantes que morava lá, mentiu.
“Senhor, eu estou faminta, perdida e não sei a quem pedir ajuda.”
“Venha comigo, vou falar com o meu patrão.”
Ele abriu o portão com uma chave entre as mil que existiam no chaveiro, entrou pelos fundos e a colocou em uma cadeira na cozinha. Preocupado com o que fazer com a garotinha, saiu rapidamente em direção ao escritório do Senhor Pettoson.

domingo, 21 de fevereiro de 2010


A sensação de “é, acabou” me faz querer mais e não, obrigada. O querer mais, por que sinto falta das palavras, do carinho, das brigas e das risadas. E o não, obrigada de que você não era pra mim, você nunca foi pra mim, você nunca quis ser pra mim. Então, não, obrigada. Eu ainda quero, mas há um pedaço de mim que grita abafado: “pra quê?!” Por que eu iria querer alguém que não ama a si mesmo? Não nego, meu coração se parte ao saber disso, porém me consolo por saber que alguém vai concertá-lo, não sei como, nem aonde e muito menos quando.

É, acabou.


O mundo não me entende e eu não entendo o mundo

O mundo não me entende e eu não entendo o mundo
Ele me pede tantas coisas, como fazer alguém feliz
Eu peço a ele a mesma coisa, que alguém me faça feliz
Talvez eu esteja sendo egoísta, pedindo tudo em troca
Sem ao menos pensar que o machucamos de tantas formas.

A vida me parece tão difícil
Que às vezes é quase impossível de acreditar
Que alguém ainda se importa
Ela me quer bem e eu a quero bem, eu me importo
Embora pareça que ela nunca acabe
Pode ser que estamos no fim
E pelo fato de ninguém se importar, ela segue, sem ao menos nos avisar.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Uma coisa eu aprendi com tudo isso, não importa quantas vezes você se apaixona o fim é sempre doloroso, mas quando você ama pela primeira vez... Ah, o fim te mata! Você me mata por dentro.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009


Mais rodada ou mais justa, uma saia.
Um novo par de sapatos, alto ou baixo.
Toda mulher com a arma do consumo...

Carregar
Orientar-se
Na hora exata
Sem
Um pingo de
Medo
Ir e
R
ecompensar-se.

Aquelas que não sentem o desejo, sentem inveja das que têm.
Mulher é mulher!

(Um texto fútil para rirmos.)

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Afinal, o quê aconteceu?

Afinal, o quê aconteceu? Cadê aquele teu respeito comigo que era algo fundamental na nossa amizade? Que nossas estranhas eram cobertas por risadas quando nada mais fazia sentindo. E quando alguém se machucava, não éramos de ficar sozinha. Agora, quem mais vai agüentar essas tuas palavras de pura falsidade saindo da tua boca? Acorda! Não vai ser por motivos desconhecidos que desta vez vai passar. Ignorar é a saída? Que saída, a mais fácil? Aquela que só é mais fácil pra ti, porém eu duvido muito, se for humana como diz ser, deve doer um pouco, não? Deve doer quando te lembras das verdades que já te disse, quando chegou teu aniversário e ninguém fez questão de lembrar, quando em todos estes anos tu estavas prestes a rodar e eu a apoiava, como um “Vamos lá, eu estou pior que você!” Mentira. Agora percebo que se fossemos comparar eu e você, oh céus! Quantas diferenças, quanta coisa ruim saí de dentro de ti! Como eu sou adorável comparado a ti. Sou falsa? Todo mundo é falso, em amplos sentidos. Mas ser cruel já é demais. É incrível, mas realmente, as pessoas são muitas coisas, como tolas. Acha que vai viver feliz assim? Acha que estou fazendo muitas perguntas? É preciso pra ti nessas horas, que levante e que reaja. Converse comigo, mesmo se for pra me xingar ou qualquer outra baixaria, na qual eu sei que tu é boa nisso. Entretanto, tu sabes, eu não vou ligar, eu não vou chorar, eu não vou implorar perdão (do quê?), eu não vou correr atrás de ti esperando um pouco daquela amiga que um dia eu amava. Ainda amo, amo muito até, amo de tal forma que me sinto inútil de pensar que tenho um sentimento tão bom por alguém que nem liga pra mim, por alguém que jurava estar sempre comigo, mas agora acho que nem de costas te vejo mais. Eu poderia tanto, mas tanto, te deixar com uma imagem horrível para seus ‘amigos’, mas vou deixar com o tempo. Porque não cabe a mim te julgar a ponto de te humilhar, mas que fique claro que não é por medo de você dizer os meus podres, porque não tenho medo de dizer que eu erro. Posso ser fria às vezes, grossa, mas tenho a pura certeza de que ninguém precisa perder a confiança em mim. Que Diabos aconteceu?! Agora a encantadora de abelhas, morre.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Vale a pena dizer que corremos atrás dos outros por puro respeito? Até tento acreditar, mas não, é quase impossível. Eu tendo acreditar em várias outras coisas, em formas diferentes ou em desenhos rabiscados. Imagine que a vaidade mude de roupa e comece a usar a humildade, porém isso não é verdade. Se fosse, o ganancioso ajudaria mais se trocasse os sapatos por honestidade. Portando, é não! A resposta é não, hoje não. Por quê? E o que vamos sentir amanhã quando 'o tudo' vier à tona? Pena de nós mesmos? Coragem e tentar voltar ao tempo? Acho que não. Fazer a diferença agora torna o amanhã mais fácil.
São brilhantes os momentos pequenos, quase perfeitos. Não se vão, preciso de vocês agora e antes que o resto do mundo se dê conta disso. Mas, o momento anda tão limpo e ao mesmo tempo complicado, e não há inocência quando se pensa nos erros e tentamos voltar. Por favor, não se vão, não é necessário sentir o gosto do choro sem motivo, por favor, é necessário sentirmos assim, para realmente dizermos que somos bons com a vida. Por que eu preciso mais e não adianta fingir que não existe, eles vêm e são pequenos; perfeitos, por favor, eu preciso agora. Então, não me diga que é sério que o mundo não tem cura.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Era absurda

Quando a gente acha que a vida não pode piorar, ela sempre piora.
Quando a gente acha que já sentiu de tudo, o pior sentimento aparece e nos faz sufocar.
Se ao menos o próximo ouvisse antes de acusar, talvez não o machucasse.
Por que depois não é ele que chora e sente os cílios molhados.
Não é ele que disse a verdade e foi ignorado.
As pessoas são injustas e eu não quero mais viver neste mundo.
Todavia, eu me pergunto: Por que não confiamos mais como antes?
Eu não quero novas amizades, não quero mais usufruir dessas modernidades, que me mordem por dentro.
Não ouso dizer que quero viver.
Contudo, suporto, durante todo o meu querer de perecer.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

A vida sem você, resta o vácuo do meu declínio.
La vie sans vous, a laissé un vide de mon déclin.

domingo, 12 de julho de 2009

"Olha que coisa, odeio você também..."

sexta-feira, 29 de maio de 2009

São tantas promessas que deixamos passar e tantas batalhas que nos permite chorar. O mundo mudou, virou de cabeça para baixo. É como se todos estivessem esquecido o propósito de ser e estar aqui. Que a quantidade de notas que pode segurar, não é o suficiente. Imagine se ao mesmo tempo todos parassem, depois ficassem de luto pelo menos um minuto, o que pensaríamos? Por que o mundo não fala com nós, por que não grita dizendo que tudo isso machuca? O amor, a ganância, a inveja e tantas outras coisas que doem. Para chegarmos à vitória é realmente necessária uma luta – algo muito maior que não cabe em nossas mãos.
Doce mesmo só se for de sal! Todo começo é difícil, salgado, duro e amargo. Depois o paladar vai se acostumando, ficando mais parecido com algo mais leve, comestível e gostoso. Quando fervido a 50°C, então a coisa fica quente, cremosa e bem saborosa. Retirando do forno já se sente o aroma mais suave, um pouco ainda duvidoso, mas completamente açucarado. Por fim, virou um doce – de qualquer tipo.
Eu estava sentada, sentindo-me completamente só. Havia gritos que viam de longe, pessoas pulando e eu apenas ali. Não sabia de onde vinha minha força de permanecer e deixar estar. Eu parei o tempo. Tudo ao meu redor não se movia, a cantora não se mexia e eu perguntava-me: o que estou fazendo aqui? Eu poderia ter corrido ao meu vizinho, botar um dvd acústico na tv e ficar completamente submersa em seus braços. Mas, o máximo que fiz foi olhar pela janela, tomando coca-cola e desabafando comigo mesma. É errado dizer que a solidão é impossível, tenho a experiência que posso estar em uma multidão, mas estar sozinha. Se dê um tempo assim, para pensar ou talvez só para relaxar. Coloque tudo no lugar, sonhe e principalmente planeje o amanhã. Talvez haja dificuldades em seu projeto de vida e ele pode mudar com o tempo. Mas, não perca as oportunidades, assim como eu sempre perco. Eu me odeio muito por isso, sempre perco a hora certa e faço tudo errado. Voltando... Estava só com um milhão de seres mortais ao meu redor. Estúpida eu por pensar que em última hora eu teria uma surpresa. Cansei e é por isso que quero, quero que me deixe de uma vez. Não tenho medo de escuro, então se não for para ficar, não acenda a maldita luz.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

domingo, 3 de maio de 2009

Velha, sozinha e burra.

Eu não escrevo músicas e nem sobre vibrações. Mas é incrível, eu tenho a facilidade de me apaixonar pelas pessoas erradas. Até que ponto o amor é tão cego, que nossos pensamentos martelam pela mesma pessoa? Sou louca mesmo por querer que minha vida seja uma fantasia, por querer viver num filme ou em páginas de um livro. Eu preciso muito de alguém, talvez possa ser uma mistura de hortelã com chocolate. Aquecidos no forno do meu coração e depois moídos pelos meus sentidos. Eu sou complicada, bato na minha cabeça por dor de cabeça, sinto cheiro de lugares que já fui e invento perfumes de outros. Porém, eu tenho a necessidade de gritar. Você que só me queria, errou. Porque meu bem, agora a moda é ter. É manter, é sofrer, é correr no sentindo oposto e é tudo isso em dobro. Metade de mim é bem egoísta e vingativa, a outra prefiro nem dizer. Eu espero o tempo que for, já esperei o suficiente a meu ver, mas eu continuo, eu consigo. Sonhos durante horas e medo de não ter de volta. Não quero que venha agora e nem depois. Quero que venha na hora certa.

Resumindo: Velha, sozinha e burra.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Anestesia

Pouco ao pouco não tem como evitar. As semelhanças aparecem sem ao menos eu aceitar. Talvez a natureza que seja errada ou o simples fato que nossos corações palpitam simultaneamente juntos. Que nossas entranhas martelam em nossos corpos, como o sangue que ainda corre quando não conseguimos dormir. Sou tua anestesia que faz a dor passar, pelo meu simples eu te amo, consigo ver que a palavra-remédio te faz respirar. Pensamento igual já não me surpreende, te faço rir por dentro ultimamente. Faço-te ficar brava, só para ver teu simples rosto de raiva. Assim, quando era pequena, brava com os lábios retorcidos e a testa tão branca que me fazia invejar. Pelas pimentinhas em sua face, que nem me importo mais se são tuas, porque parece que tudo que é meu é teu por obrigação, assim, o que é teu é meu - um argumento só para avisar. Sei que não sou o que queria que eu fosse, sei também que não sou o que todos queriam que eu fosse. Agradeça a mim por ter deixado o talento musical para ti, agradeça a mim por eu mandar muito em ti, assim, parece que cresce. Minha metade do coração da mãe, cresça do teu jeito, que a virtude sempre adorne teus pensamentos incessantemente. Deixe este mundo para trás e nunca se esqueça que o mundo que virá será melhor. Correremos pelo caminho apertado, mas o cansaço nunca sentiremos, por que as bênçãos de sabedoria receberemos juntas no milênio.

(Para minha irmã, Júlia Lazzaretti.)

terça-feira, 7 de abril de 2009

"Ouvi dizer que os olhos são as janelas da alma."

Não bastam apenas as injustiças e os desaforos que temos para que o mundo pare. À medida que ele dá um volta, zilhões de seres se foram e somente as almas vagam com os segundos dos vivos que ainda batem com o coração maldito.



terça-feira, 31 de março de 2009

Risada de vingar

Já falei pra ti te matar, está achando que manda. As regras eram tuas, mas agora é minha vez no jogo. Rir de vingança. Talvez na tua jogada, eu era apenas a mimada que não sabia o que era dor, mas logo você para falar de amor? Eu não estou nem aí, foi embora tarde demais, eu estou ótima e até muito feliz. A realidade é que um usou o outro, mas eu fui mais justa em não mentir, na verdade, eu não estou nem aí, eu estou bem. Enquanto eu dava a vida, eu dava tudo, você só me iludia. Mas, porque ainda estou falando?! Eu não estou nem aí, eu estou ótima, eu estou bem! Rir da tua cara de trouxa só me ajuda a espalhar meu amor por aí, já que não quis. Então e daí, tenho meus truques ainda, ganhei essa partida. Saí ganhando na brincadeira.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Droga do tipo A

Droga de amor que não quer passar. Droga por eu me drogar de novo com essa droga. A minha droga preferida, mas a droga que mais vicia. O amor é uma droga, droga que droga, não tenho mais a droga. A droga que era você que me faz falta. Droga fazia meu coração bater mais forte e me drogar tanto que eu até dormia. A única droga que experimentei foi a A, droga do amor. Que eu via meu mundo girar como uma drogada num parque e uma viciada no seu cheiro de drogar. Droga é você! Por me tornar uma viciada e não saber mais como largar. Mas, que droga deliciosa!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Grande miséria do grande amor, aquele que não quer me ver.

Grande meu coração retalhado por pensar que ele ainda quer bater.

Tantas grandes explicações com as palavras que não tem nada a ver.


Agora as palavras se fecham, se calam.

Silêncio.


30 segundos, 30 anos...

Ainda suspiros, ainda amor.

Ainda que eu não existisse, tu me encontrarias.

E ficaria comigo até o fim?

Eu viveria contigo se não lembrasse mais de mim.

Ainda no fundo existe a memória. Existe eu.

Existe tu.

Sempre nós.


Escute.

A música, o som, me escute – dentro ou fora.


(Este texto não é dedicado para ninguém, foi só por inspiração.)

Parece que não sou a única que você quer, parece que não sou a única flor que te pertence. É explícito que a verdade parece ser ruim pro teu lado, que na verdade não sabe ter a difícil. Exploda-se esse amor que não quer vir. Se já não me queres mais, o que resta é a solidão. Por que pra ti não importa eu te querer, não importa eu te amar. Importa com quem ficar mais fácil. Bem, parece ser isso, de certeza não tenho. Explique-se. Porque tentando me agradar com outra pessoa no meu lugar não é a solução. Era o meu coração que se escondia no fundo do meu peito embora o seu que doía? Por pensar que o meu doía quatro vezes mais, isso te ajudaria? Isso te animaria? Animaria viver tua vida sem a minha, se o teu desejo for viver em vão. O teu cheiro era uma delicia oculta, mas será que ele sempre foi só meu?

(Este texto não é dedicado para ninguém, foi só por inspiração.)

domingo, 1 de março de 2009

Dói

Como esquecer, se o vento sopra ao contrário? Enquanto a maré nos joga contra as pedras e a tentativa sempre não acontece. O que você quer? Faça pelo menos uma vez na vida o que quer, corra ao aposto, se machuque se no final for tudo doce. Só não escolha a saída mais fácil. Não perca a tua chance de ser feliz, porém se de fato for do teu jeito, meu sorriso que é teu, vai embora. Minha vida que é tua, vai embora. O destino vai nos unir de novo, o arrependimento surgirá quando você menos esperar. Final nunca chegará, porque no nosso mundo só cremos no amor, no meu mundo, o amor é eterno. Aquele amor que mesmo longe ele existe, mesmo um acreditando ele existe. Porque minha esperança é única, o meu coração é abalado e você não ajudará me esquecendo. Tristeza pode ser meu companheiro, posso me acostumar. Mas quando minhas pernas tremiam eram da alegria que eu só sentia quando estava a teu lado. Ignorar não é a chave da solução e quem não cansa?! Quem não alcança o objetivo se não tentar?! Dance no meu ritmo, prometo que será bom. Porque a perfeição nunca foi minha, sempre foi tua. Tolo é aquele que ao pensar em ir embora, vai me perder. Somos todos tolos no amor. Tu me dói de vez em quando, tu me mata lentamente e aos poucos. Tu esquece que fomos feitos um para o outro. Em vão tenho lutado, mas de nada valeu, meus sentimentos não podem ser apagados e eu o amo, verdadeiramente. Eu sei que é difícil de entender, essa historia na minha genealogia já ocorreu. Eu escolho a saída difícil, é estreita e apertada, dolorida e possível de chegar ao paraíso. Creio em todas as coisas, confio em todas as coisas, suporto muitas coisas e espero tudo suportar. Tudo que é amável e louvável, eu achei em ti. Meu amor, tu é minha devoção, minha adoração, minha reverência, minha ternura, minha misericórdia, meu perdão, minha compaixão, minha graça, minha gratidão, minha bondade e meu tudo que há. Ande em amor, com teu cheiro suave e com tua sabedoria, porque o mundo está em tempos maus. Portanto não seja insensato, buscai a verdade e vou estar sempre aqui quando precisar buscar. Deve sagrar-se e ser de tua dama o teu corpo, ama-la como ama a ti mesmo. Se eu não tivesse toda fé que tenho e sem o amor, eu não me sustentaria. Mas dentre tudo, o que ganha é o amor, mesmo com as falhas, as injustiças e as feridas. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Experimentei uma mudança no meu coração, sinto o desejo de cantar o cântico do amor, podeis tu sentir isso também? E se for chamado pela morte agora, podeis dizer que está suficiente humilde? E que está despido de orgulho? Digo que se não estiver, deve se preparar rápido porque não está longe o dia do meu leito, e depois disso não haverá mais vida eterna para ambos. É errado da minha parte te julgar, nunca foi minha intenção, mas eu só queria te ajudar. Eu preciso te ajudar, eu preciso muito de ti. Porque o perfeito amor lança fora todo medo.

(Este texto não é dedicado para ninguém, foi só por inspiração e pensando em Jesus Cristo.)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Appropriate you say does not give more, breaks my heart.
When it feels wrong ... I feel a wrong.
This breaks my heart.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Em busca de um milagre

O que nunca aconteceria

Mas o que mudaria

A forma do mundo girar.

Encontro da paz

Onde tudo seria puro

E os duros de coração

Arrepender-se-iam.

Procuramos sossego

Mas não fazemos nada para recebê-lo

No qual isso não ajudaria

Trazê-lo em forma de possível.

Formação de palavras

Inexistentes

Que num dia primaveril

O mundo todo ouviria.

Leríamos mais

Se no mundo que vivemos

Está pagando para ter o inimigo

Em baixo de nosso teto.

Adquiríamos mais conhecimento

Se na televisão tivesse mais conceitos

O errado parece o certo

O certo, o indesejável.

Amaríamos mais os outros

Quando somos honestos com os inimigos

E junto com os amigos

Seríamos como irmãos.

Ter medo da morte

Poucos teriam

Se soubessem

O que há além do infinito.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Lazzaretti

(Música por André Luiz dedicada a mim. Obrigada, amigo.)

Foi foi foi foi foi você
Que encontrei bem ali
Mas não pude ver

Só, depois de falar
Que ela percebeu
O desanimo em mim

Não, tira essa tristeza
Que a vida é bela
Disse-me a princesa

Sim, vamos correr; vamos cantar
Que a vida sim vai melhorar
Que a vida vai melhorar.

Sim, chocolate é doce porque
Sempre alegra a vida
Pro beijo acontecer

É, esse nosso país
Toda essa injustiça
Não tem como entender

Mas ficaremos na fila até o fim
De qualque livraria
Para ali comprar

Algum livro, alguma edição
De algo que ja passou ou nao
Entre nossa TV.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Querido Amor,

Queria ao menos ter tido contigo o sabor do vento. Quando você era comigo um lindo vestígio de tentar viver. Eu dizia que aqui era o seu lar, e quando voltava para casa você estaria com o vento ao nosso redor, nos cercando como ele sempre fazia. Fazíamos rir, fazíamos chorar e até mesmo dançar. Então de fato podemos dizer que sentimos o sabor e não foi em vão e nem castigável como alguns pensam dele, ou o vento corta de frente ou ele te empurra para trás; mas foi sensível, sentirmos isso.
Para ser sincera, não sei se vai me entender e nem compreender, porém é boa a sinceridade com as palavras, é bom falar em silêncio. Mais uma verdade: nunca pensei em me aproximar de uma pessoa. Ao menos quando eu tento, ela acaba se afastando, mas nunca desisto. Desistir é estranho, é inevitável, é humano. Não julgo ninguém por isso, mas também existe a palavra tentar.
Diga-me, o amor verdadeiro é passageiro ou é um começo? Se for o começo: amor, lute por mim, fique louco por mim. Não quero que corra atrás de mim, quero apenas você. Os dois loucos um pelo outro, para vivermos um grande amor. É preciso sangrar, ser de sua dama por inteiro, é algo além das lágrimas perdidas, além do sofrido já ocorrido, é mais do que uma história para contar em uma noite escura e sem estrelas. Pense em mim quando olhar nessa noite escura uma lua, aonde a lua está, você está. Eu estou. Juntos em só um lugar, unidos apenas por uma luz, a luz que ilumina o que importa. Como o sorriso, que é capaz de limpar uma alma despedaçada ou uma sala sem vida, sem cor.
Quero que me veja dia-dia, me veja como realmente sou. Tão rápido é difícil você saber, como vai querer? Como vai querer alguém que tão rápido conquistou e tão rápido pode perder-lo? Eu não sei você, mas quero alguém que lutei para ter, que usei todas as forças para conseguir e justamente porque não quero que vá embora. Alguém que eu ame e odeie ao mesmo tempo, mas quando lhe vejo sinto o desejo de sorrir, mesmo nos momentos mais difíceis, porque sei que ele estará do meu lado em tudo, que sentirei saudades, saudades de tudo. Ele será o meu tudo e eu apenas o tudo dele, ou o nada. Quero sentir que ele é meu caminho, é a minha direção que posso confiar, tanto no frio quanto no quente.
Não sei quais são os limites da simples palavra amor que, no entanto é tão complexa. O limite de amar é não saber o caminho que seguir e sim seguir o caminho que ele te leva. O limite do amor também é não saber o que vai acontecer no amanhã, mas persistir e conquistar o que você deseja tanto o que te atormenta o coração. Talvez você não saiba o limite e muito menos eu, mas sei o caminho que quero seguir. É o caminho do meu paraíso, o meu porto, o meu lar, o seu coração. Quero que encontre o caminho também e que seja o meu caminho, sei que não é fácil, mas você vai ter que agüentar pelo simples fato de eu te amar.
Quem me conhece sabe realmente que não sei me expressar com as palavras, não sei nem ao menos dizer o que sinto mesmo sendo o que mais quero é me explicar. Palavras não ditas estão dentro de mim para onde quer que eu vá,e a única maneira que faço para tentar falá-las é tentando esconde-las fazendo que não existem, tentando apagá-las como a maré. Quando o mar sobe, se arrasta sobre areia da praia e faz apagar todas as palavras que estavam escritas, como um simples: socorro! E quando ela finalmente abaixa as ondas se vão levando as palavras não ditas, mas escritas que nunca foram lidas. Agora você sabe, quando eu não souber o que te falar e só me olhar, corra para o mar e me veja expressando o que sinto. Observe-me, observe o jeito que mecho minhas mãos, os meus cabelos, os meus lábios e os meus olhos. Então verá o que estou tentando falar e lerá tudo que não consigo dizer, conseguirá até ver a minha alma. Posso ter exagerado com o correr para o mar, pois você pode fazer isso em qualquer lugar, em qualquer hora, quando quiser.
Desculpa se não sou perfeita, desculpa por ser tola nesse assunto, desculpa não ter dito coisas que mudariam o sentindo de tudo. Desculpa por me esconder quando estou com medo, desculpa por eu ter me assustado quando você me queria e desculpa por não saber amar.


27/11/08

(Este texto não é dedicado para ninguém, foi só por inspiração enquanto assistia um filme.)

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Nada humana

Ontem outro cheiro, de farmácia. Não me entenda errado, pois sou bem errada também. Se sou rancorosa, com certeza libra também é. Não falo só de um, mas mais. Pois é, outubro (aqueles teimosos). Palavras foram jogadas, mas nada além, até porque quem iria querer? Garota fiel ao seu dever e sem um fim que qualquer humano iria querer. Foi bom, percebi que tenho que estar no mundo, mas não ser do mundo. Talvez um dia eu te veja, você e suas 21 maneiras de ir para o inferno. Enquanto isso morda a sua mão.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Apenas Ignore

Quando sentimos um vazio no peito queremos ignorá-lo e fingir que não sabemos que é amor. Quando passamos momentos sozinhos, sentimos algo diferente, mas por um momento ignoramos
mesmo sabendo que está amando. Quando percebemos que não há nada no mundo que irá curar essa dor, ignoramos mesmo assim. Quando vemos que seu amor é em vão, ignoramos as pessoas e
vamos atrás do que atormenta tanto o coração. Apenas ignore e corra atrás a essa atormentação.

(15/09/07)

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

De fato Shakespeare estava certo. O amor só é amor ,se não se dobra a obstáculos. E não se curva a vissitudes. É uma marca eterna. Que sofre tempestades (...). Uma marca eterna, o que se pode pensar quando ele cita em sofrimento? Pois bem, eu penso no amor, ele dói. Mesmo você fingindo com sua face sorridente. Ali, bem ali dentro, no fundo da sua alma, você vê que está te corroendo. "Você me dói de vez em quando", dizia Caio Fernando de Abreu.

domingo, 28 de setembro de 2008

Repito várias vezes: que cheiro, que cheiro e que cheiro.


O cheiro daquele dia durou semanas no meu pensamento. Era o aroma que surgia quando eu menos queria e quando eu mais te queria. O cinema foi um erro, talvez. Seu rosto no meu ombro, digo mais uma vez: que cheiro. Repito: que cheiro. Naquele minuto nada de que conhecíamos existia. Cegos, mudos e sem ar. Mas havia um sentido em tudo isso, talvez algo que só ela percebia: o cheiro que perseguia. Todos deveriam ser assim, um pouco natural e um pouco artificial. Umas gotas de perfume humano é sempre insubstituível. Nem perfumes de Paris ocupariam o lugar. Que bom que tudo passou, agora só sinto o cheiro da chuva. Droga, 'a chuva me traz lembranças de você.'